Soluções técnicas: à prova de explorador

13/11/2015 Comentar

Os relógios mecânicos contemporâneos estão repletos de soluções técnicas que fazem frente às condições de utilização mais adversas. Convém saber quais são e para que servem, caso o leitor deseje soltar o explorador que há em si.

 

Grandes exploradores do passado, como David Livingston, Roald Amundsen ou Sir Edmund Hillary, tiveram, em determinado momento das suas viagens, de enfrentar condições extremas para as quais os relógios que transportavam estavam tecnicamente mal preparados. Hoje, o explorador moderno, quer se movimente na orla do espaço, como Felix Baumgartner, nas regiões geladas dos polos, como Sir Ranulph Fiennes, quer no topo dos 14 picos mais altos do Planeta, como o nosso extraordinário João Garcia, tem necessidade de recorrer a relógios com argumentos técnicos à altura dos desafios que enfrenta.

No final, apenas se espera que — apesar das temperaturas, profundidades e condições extremas a que pulseiras, caixas e vidros são sujeitos — os relógios destes heróis da era moderna mantenham a função vital a que foram destinados: a medição precisa do tempo que passa. Enfrentar os extremos que as viagens de exploração colocam hoje na rota destes aventureiros requer, pois, soluções técnicas para as quais a relojoaria suíça tem vindo a desenvolver medidas cuja eficácia é posta à prova todos os dias.

Descubras as soluções técnicas que têm vindo a ser adotadas na relojoaria mecânica suíça no site da Espiral do Tempo.